Empreendedorismo

Como criar um nome para empresa de tecnologia

26 nov 2019

Por: Contabilizei

A escolha de um nome para qualquer empresa é um dos momentos mais importantes da estratégia de um negócio, sendo a informação mais valiosa a longo prazo. Por isso, é importante definir uma marca que cause impacto e lembre as pessoas do porquê optaram por ela.


Na hora de empreender, diversas decisões devem ser tomadas de maneira estratégica. Perguntas como o que, onde, como e porque um negócio será criado, são algumas das mais importantes neste processo inicial. Mas a primeira coisa que o público vai ver, é a marca. 

Você sabe como criar um nome para empresa de tecnologia?

Em nichos inovadores, a marca deixou de ser apenas um coadjuvante e passou a significar mais para o público-alvo. Empresas que se utilizam de uma série de ações para influenciar as pessoas a estarem próximas, a compartilharem e consumirem cada vez mais de seus negócios, sabem e aproveitam muito bem isso.

Esse processo é conhecido como Branding, e ele deve começar desde a primeira sugestão de nome para empresa de tecnologia, pois é preciso entender como a marca ganhará sua personalidade em seu meio de atuação. A ação possui diferentes níveis de complexidade e também inclui a apresentação visual da marca.

Obrigado

.

Assine nossa newsletter e
receba conteúdos exclusivos


Entre para a Contabilizei

Por onde começar a criar um nome para empresa de tecnologia

Se você está decidido a abrir seu próprio negócio, depois de conferir as 16 dúvidas que todo pequeno empreendedor tem, o primeiro passo para definir qual será a marca é anotar todas as ideias que você e sua equipe tiverem. Este processo é conhecido como brainstorm.

Depois de anotar todas as sugestões de nomes para empresas de tecnologia, verifique a existência de empresas com os nomes escolhidos e em seguida faça uma nova lista, desta vez, busque todos os termos associados ao que a empresa faz. Por exemplo, uma agência de comunicação provavelmente pode ser associada ao termo “marketing”.

Marcas parecidas, especialmente na área de tecnologia, são facilmente identificadas como plágio na era da internet e tiram a sensação de exclusividade por parte do público. Evite. 

Confira mais dicas:

  • Pense no online e no offline: mesmo que sua empresa de tecnologia opere somente na internet ou fora dela, é muito importante pensar em nomes que funcionem em ambos os casos, tanto por questões legais (como o registro de domínio e o registro da marca) quanto por questões de oportunidades futuras.
  • Aposte em um nome de fácil pronúncia: basta observar como grandes marcas como o “McDonalds – Méqui” estão adaptando suas marcas para o público brasileiro.
  • Evite o estrangeirismo: assim como o item anterior, evite também usar palavras estrangeiras no título. Mesmo dentro da área de tecnologia, onde o inglês é amplamente utilizado, menos de 5% da população brasileira possui fluência no idioma.

Não existem práticas obrigatórias para criação de marcas, mas certamente existem coisas para se evitar.

Abra sua empresa de graça em 4 passos simples

Razão social x Nome Fantasia: quais as regras na hora de criar um nome para empresa de tecnologia

Quando uma empresa passa a existir legalmente, um registro é realizado e a partir dele é gerado o CNPJ, algo de extrema importância para os negócios. Junto a isso, um nome legal é firmado. 

A razão social é composta pelo nome dos sócios seguido pelo número de cnpj gerado. Esse documento será utilizado nas operações legais da empresa e servirá como um nome temporário até que o nome fantasia seja gerado. 

O nome fantasia, diferente da razão social, é a marca pela qual as pessoas conhecerão a sua empresa. Contabilizei, Nubank e Uber, são grandes exemplos de nomes fantasias que possuem diferentes razões sociais por trás. Esse registro deve ser realizado junto ao órgão de marcas e patentes, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), conforme veremos mais adiante.

Ainda sem ideias? Conheça as ferramentas que ajudam na escolha de nome para empresa de tecnologia

Existem algumas ferramentas que nos auxiliam na hora de criar uma marca. Embora devam ser usadas apenas como referência, podem representar grande ajuda nos processos de brainstorm:

  • BNG (Business Name Generator) – O BNG possui uma área exclusiva para gerar nomes para empresas de tecnologia.
  • Shopify – Com o Shopify basta digitar uma palavra-chave que o sistema se encarregará de sugerir nomes relacionados ao termo.
  • Naminum – Assim como os outros, basta digitar uma palavra-chave que a busca se encarregará dos relacionados. Outra função interessante, é a “Estou com Sorte”, que automaticamente gera um nome aleatório.
Abrir um CNPJ nunca foi tão fácil

Já sei qual marca vou usar, como faço pra registrá-la?

Agora que você já passou pelo processo mais difícil, que é escolher o nome para sua empresa de tecnologia, chegou a hora de oficializá-lo!

Mas antes de investir qualquer valor monetário, é importante realizar uma busca de marcas já existentes. Esse processo pode ser realizado, gratuitamente, através do Sistema de busca de marcas do INPI.

Oficializar a marca é algo importante, pois só através disso que a marca se torna um patrimônio da empresa. Apesar de pouca complexidade, o processo pode durar até 2 anos para ser finalizado. Por isso quanto antes for iniciado, melhor.

Algumas informações importantes:

  • Uma mesma marca pode coexistir para empresas de diferentes nichos, ou seja, um bar, uma escola e uma pasta de dente podem possuir o mesmo nome.
  • É possível registrar, além da marca (escrita), a apresentação visual da mesma.
  • Desde o início é importante ter definido se a empresa funcionará em torno de um serviço, produto, marca coletiva ou certificação.
  • Os custos de registro irão variar de acordo com as informações acima e serão pagos em duas parcelas. No pedido de abertura e na finalização.

O registro deve ser realizado através do INPI e garante a proteção de uso exclusivo no país inteiro, ocorrendo ao longo de diversas etapas:

Preenchimento e envio de formulário de pedido de registro de marca

Após verificada a não existência do nome que gostaria de utilizar como marca, devemos iniciar o preenchimento e envio do formulário de pedido de registro, o qual também irá gerar um boleto conhecido como GRU (Guia de Recolhimento de Receitas da União), quanto ao valor, irá depender de alguns fatores como o tipo de registro (marca nominal, figurativa – com logo, etc.).

Acompanhamento da solicitação

Após envio do formulário, inicia-se o processo de acompanhamento, que pode durar até 2 anos. Durante o período, o INPI pode tirar dúvidas sobre o registro e verificar a não existência de marcas semelhantes novamente, além de possíveis reações negativas a abertura da marca (pessoas com uma marca parecida, por exemplo).

Para acompanhamento do projeto, é preciso validar o número de protocolo recebido na Revista de Propriedade Industrial (RPI), publicada semanalmente pelo INPI. Nela será possível descobrir se o pedido foi autorizado (deferido) ou negado (indeferido).

Caso ao longo do processo alguém tenha se oposto a criação da marca ou por algum outro motivo o pedido tenha sido indeferido, é possível apresentar um recurso em até 60 dias

Marcas deferidas são registradas após o pagamento final e os envolvidos passam a ter os devidos direitos de uso.

Pensar em um nome para empresa de tecnologia que seja poderoso e memorável, pode ser um desafio. Mas se você tiver um bom serviço de contabilidade cuidando da parte burocrática do processo de abertura do CNPJ, fica muito mais fácil ter tempo e disposição para pensar na marca! Por isso, se quer abrir uma empresa, saiba como a Contabilizei pode te ajudar! 

A Contabilizei cuida de tudo para brir sua empresa
Contabilizei

Contabilizei

A Contabilizei é líder em abertura de empresas no Brasil e mantém esse blog para levar conteúdo de qualidade aos pequenos empreendedores.