Empreendedorismo

O que você precisa saber para trabalhar como freelancer

6 nov 2019

Por: Vitor Torres

Quando se começa a trabalhar como freelancer, você passa a não ter mais chefe e lida diretamente com os clientes. Tudo é feito sob demanda e os ganhos são proporcionais à sua produtividade.

Independentemente do motivo que leve você a entrar nesse mercado, é preciso tomar alguns cuidados e seguir boas práticas — que vão ajudar a desenvolver uma carreira bem-sucedida. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

Por que trabalhar como freelancer?

São vários os motivos que levam uma pessoa a começar a trabalhar como freelancer. Entre os principais, podemos citar:

  • decisão de trabalhar para si mesmo (e não para empresas);
  • vontade de empreender;
  • necessidade de mais autonomia, liberdade e flexibilidade;
  • desejo de mudar de área de atuação;
  • necessidade de aumentar a renda (seja ela principal ou extra).

Quais são os primeiros passos para trabalhar como freelancer?

Começar a trabalhar como freela nem sempre é uma tarefa simples, já que você precisa aprender a colocar preço em seu trabalho e a se posicionar no mercado para conseguir clientes.

Porém, nos tópicos a seguir, listamos algumas dicas valiosas que vão ajudar você nessa missão e a se dar bem no mercado. Veja quais são elas!

Invista em especialização

Antes de tudo, você precisa se qualificar e se especializar no que deseja trabalhar. Há diversos cursos disponíveis na internet que podem complementar o seu currículo ou oferecer um bom conhecimento sobre a sua área de atuação.

Isso é especialmente importante se você pretende trocar de área. Assim, mesmo que tenha uma excelente formação, o ideal é investir no conhecimento específico necessário para realizar esse novo trabalho com qualidade (e conquistar os clientes).

Descubra como precificar o seu serviço

Há casos em que é mais vantajoso cobrar por hora de trabalho. Em outros, os profissionais preferem oferecer um preço fechado para o serviço completo.

A forma como você vai fechar seus contratos também influencia no valor cobrado, já que os custos de um profissional autônomo são diferentes de um freela com CNPJ. Estude qual modelo funciona melhor para você e faça a precificação correta.

O importante é que o valor repassado seja suficiente para cobrir todos os custos que você terá com a prestação do serviço e ainda gerar lucro — que é como um salário, utilizado para custear as suas despesas pessoais.

Obrigado

.

Assine nossa newsletter e
receba conteúdos exclusivos


Entre para a Contabilizei

Divulgue seu trabalho

Sabe aquele ditado que diz que “quem não é visto não é lembrado”? Jamais se esqueça dele e aposte sempre na divulgação do seu trabalho. Isso pode ser feito por um perfil no LinkedIn, grupos do Facebook ou até mesmo em plataformas específicas que conectam oportunidades a freelas como Workana ou 99Freelas.

Caso queira, você também pode distribuir cartões de visitas ou até mesmo fazer a chamada prospecção ativa, entrando em contato diretamente com os clientes e oferecendo seus serviços.

Escolha os projetos com os quais quer trabalhar

Já pensou em qual área quer trabalhar como freelancer? Se você é design gráfico, pode optar por fazer diagramação de materiais (como e-books), artes para cartões e folders e até mesmo imagens para redes sociais, por exemplo.

Veja em quais projetos você quer se envolver, de acordo com as suas habilidades e conhecimentos. Quando você define seu nicho do mercado, fica mais fácil se posicionar no mercado e ir atrás dos cliente certos.

Prepare-se financeiramente

Uma das características mais marcantes do trabalho de freelancer é a renda variável. Como você depende da frequência de clientes e das demandas deles, é praticamente certo que um mês nunca será como o outro.

Por isso, você precisa se preparar financeiramente, lembrando de fazer uma economia nos períodos de mais abundância — o que vai ajudar bastante na hora do aperto.

O ideal é que você tenha a chamada reserva de emergência. Para autônomos (como os freelas), ela deve ser a soma de 12 meses do seu custo de vida. Assim, se você tem um gasto de R$2.000 mensais, a sua reserva deve ser o equivalente a R$24.000.

Ela é fundamental para suprir os momentos de baixa e qualquer imprevisto que aconteça e gere a necessidade de um dinheiro extra.

Defina o seu local de trabalho

Trabalhar como freelancer em regime de home office é o sonho de muita gente. Se o seu trabalho pode ser feito online, essa é uma excelente alternativa — principalmente porque diminui consideravelmente as suas despesas.

Mas também há a opção de utilizar coworkings, ir a cafés ou até mesmo realizar suas atividades de forma presencial com os clientes.

Se você trabalha com fotografia, por exemplo, pode ficar mais difícil se manter em um local fixo para executar as tarefas. Nesse caso, as despesas com deslocamento e alimentação precisam ser incluídas em seu orçamento também.

Quais áreas têm potencial no mercado?

Para trabalhar como freelancer, o mercado é bem amplo e está aberto para profissionais das mais diversas áreas. Algumas delas têm ainda mais destaque, como:

  • marketing;
  • produção de conteúdo (redação e revisão);
  • design;
  • TI (desenvolvimento de sistemas e criação de sites);
  • consultoria (em várias áreas);
  • fotografia.

É preciso ser PJ para trabalhar como freelancer?

O ideal é que você abra uma empresa e se formalize. Além de isso ajudar a se profissionalizar, é importante para atender às exigências de emissão de Nota Fiscal (para seus clientes) sempre que prestar um serviço ou vender algum produto.

Em muitos casos, isso é critério de contratação por parte das empresas, ou seja, você precisa ter um CNPJ e emitir NF para que possa ser contratado. Isso significa que é uma decisão que pode ajudar a abrir muitas portas para você no mercado, principalmente se seus você for prestar serviço para empresas.

Mas não pense que abrir um CNPJ que não seja MEI é complicado! Tomada a decisão, é necessário contar com a ajuda de um contador que vai orientar tudo o que deve ser feito.

Já pensou em recorrer à contabilidade online? Esse serviço facilita bastante as etapas do processo de abertura e em alguns casos, como na Contabilizei, você não paga nada por isso.

Trabalhar como freelancer é uma opção para muitos profissionais (seja por necessidade ou por opção). Se você tomar todos os cuidados necessários, principalmente no início da carreira, e investir em seu marketing pessoal, pode conseguir resultados muito promissores!

Gostou deste artigo? Quer saber um pouco mais sobre como abrir uma empresa? Então, aproveite e confira o post que explicamos como abrir um CNPJ!

Vitor Torres

Vitor Torres

Vitor Torres é fundador da Contabilizei (o jeito mais fácil e econômico de realizar contabilidade), empreendedor e investidor de startups.